VARIEDADES
AICI Brasil - Associação Internacional dos Consultores de Imagem faz análise sobre imagem pessoal, maturidade e ageísmo em 2021
   
Deixar ou não cabelos grisalhos, ter ou não estilo próprio, vestir-se de acordo com a idade e seguir ou não tendências de moda, eis as questões

Por Amanda Zambotto
13/07/2021 17h44

Envelhecer ainda é um tabu para muitas mulheres. Deixar ou não cabelos grisalhos, ter ou não estilo próprio, vestir-se de acordo com a idade e seguir ou não tendências de moda, eis as questões. Manter-se ativa no mercado de trabalho, aproveitar a vida após o casamento dos filhos, da viuvez e da separação, são alguns dos questionamentos que cercam a vida de uma mulher madura, em busca da plenitude e na realização dos seus diversos papéis sociais de mãe, esposa, empreendedora, dentre outros. A AICI Brasil, com colaboração de seus consultores, preparou um material especial que reflete sobre os temas, fazendo uma análise comportamental e destacando mulheres que assumiram sua idade, seus cabelos grisalhos e que têm feito a diferença com suas vozes.

A AICI Brasil (Associação Internacional dos Consultores de Imagem) é a maior associação de profissionais de Consultoria de Imagem do mundo, presente em mais de 55 países. Fundada em 1990 nos Estados Unidos, a AICI é uma organização sem fins lucrativos voltada a elevar o nível de profissionalismo e de credibilidade, aumentando o reconhecimento dos consultores de imagem ao redor do mundo. Os membros da AICI assessoram pessoas e empresas quanto aos três pilares da imagem: aparência, comportamento e habilidades de comunicação. Possuem atendimento personalizado para cada estilo, idade, biotipo e crença.

Você conhece os termos age shaming (vergonha da idade) e ageísmo? A AICI Brasil nos explica: Age Shaming faz referência à conhecida regra de etiqueta de que nunca se deve perguntar a idade de uma mulher, pelo sentimento de desconforto que essa simples pergunta pode trazer para a maioria de nós. Então, a vergonha de acordo com Brené Brown, pesquisadora americana da Universidade de Houston, que ficou famosa por falar sobre o tema, “é um sentimento intenso ou crença de que somos imperfeitos e, portanto, podemos ser excluídos ou deixar de ser amados”. Já o ageísmo significa um tipo de atitude e de pensamento “que é toda forma de estereótipo, preconceito e discriminação baseado em idade”

Campanha MyBasic com modelo Valeria Rossatti de 45 anos. Foto: Thais Vandanezi.

Com a pandemia, observamos que alguns desses tabus foram quebrados, como por exemplo o de deixar cabelos naturalmente grisalhos e enfrentar sem medo essa transição, que até pouco tempo era considerada sinônimo de desleixo. Mulheres como Valeria Rossatti (45) e Glória Pires (57 anos) se tornaram notícia e serviram de fonte de inspiração para muitas mulheres ao concretizarem a transformação capilar dos cabelos tingidos para os completamente grisalhos. Por outro lado, muitas ainda são as barreiras a serem derrubadas pelas mulheres, como a própria aceitação do envelhecimento, o que não significa ter que deixar de lado o autocuidado, a busca por saúde e bem-estar e com certeza o cuidado com a imagem. "Mulheres desejam esconder os sinais desse envelhecimento, por um padrão há muito imposto de eterna juventude, mas não precisam sentir nenhuma vergonha ou esconder o próprio estilo ou a sua essência para que se percebam bonitas, felizes e adequadas" completa Tatiana Cotrim, consultora de imagem da AICI Brasil.

Há alguns anos estamos observando a indústria da moda fazendo um movimento de inclusão e diversidade nas passarelas e na criação de seus produtos. São temas que foram trazidos para esse cenário gerando discussões a respeito de imagem, beleza e estilo. Estes assuntos estão cada vez mais voltados para a aceitação de corpos, idades, etnias e orientação sexual de seus atores e consumidores, em um universo predominantemente dominado por padrões e estereótipos rigorosos e que causavam a ausência de identificação por parte do público, que acompanhava os seus ditames sem, contudo, conseguir uma total identificação com o que era apresentado. 

Campanha MyBasic com modelo Valeria Rossatti. Foto: Thais Vandanezi.

À medida que envelhecemos vamos nos conhecendo mais, fica mais fácil identificar nossos gostos pessoais, nosso estilo, trabalhar melhor a autoimagem e a autoconfiança. Além disso, a longevidade (estastistica que mostra que de 1980 a 2013, a expectativa de vida do brasileiro aumentou 12,4 anos) tem impactado diretamente em uma mudança de mentalidade. Costuma-se dizer que os trinta anos de idade são os novos vinte, os quarenta anos os novos trinta, os cinquenta anos os novos quarenta e assim por diante. Isso se deve, aos avanços nos campos tecnológico, da medicina e da estética que difundiram o acesso a serviços e informações, trouxeram a inserção de uma geração de mulheres a partir dos cinquenta anos em espaços há décadas não ocupados e a possibilidade de viver melhor e com mais saúde.

Trata-se de uma geração de mulheres – as chamadas 50+, que não se submetem a serem apenas mães e avós tradicionais. Essas mulheres estão empreendendo, estão inseridas no mercado de trabalho, estão preocupadas com a sua própria imagem e ansiosas por se reinventarem, sendo a Consultoria de Imagem uma excelente ferramenta para o atendimento desse anseio. Vale lembrar, inclusive, que existe uma parcela de mulheres, a qual cresceu nas duas últimas décadas, que está fora do padrão estigmatizado de casamento com filhos e que se volta completamente para si mesma, objetivando o seu próprio crescimento e os desenvolvimentos físico, mental, emocional, incluindo nesses aspectos a imagem nos seus três pilares, que são muito usados na Consultoria realizada pelas consultoras da AICI Brasil: aparência, comportamento e comunicação. 

Atendimento humanizado e personalizado na Consultoria de Imagem da AICI Brasil: 

Para que possamos planejar uma imagem adequada para a maturidade, antes é preciso que a mulher se reconecte com ela mesma. O envelhecimento traz o privilégio da sabedoria, o despertar para um momento único, em que após viver muitas das vezes exclusivamente para o outro ou para o trabalho ela se vê sozinha com os seus sentimentos, livre e com um desejo enorme de tomar as rédeas de sua própria vida, se reinventar, iniciar novos desafios, projetos e viver com qualidade. 

Na Consultoria da AICI Brasil, utilizam a escuta ativa, a empatia e sobretudo o respeito nos atendimentos. Enxergar a cliente em todas as suas peculiaridades é uma premissa básica e constante que cada consultor tem, principalmente em se tratando de clientes 50+. Isso porque, são mulheres que já passaram por diversas experiências em suas vidas, a idade traz, via de regra, uma certa dificuldade em implementar mudanças radicais e a aceitar opiniões ou considerações de terceiros. Nesse ponto, a paciência, o cuidado e a dedicação do(a) consultor(a) são redobrados, para que bons resultados possam ser percebidos.

Campanha MyBasic com modelo Valeria Rossatti. Foto: Thais Vandanezi.

SOBRE A AICI:

AICI é uma associação sem fins lucrativos e conta com 1200 membros pelo mundo, um terço deles se encontra fora dos E.U.A., com 36 capítulos espalhados por 23 países. As representações estão localizadas por toda a América do Norte, América do Sul, Europa, Ásia e Austrália. Há 10 anos no Brasil, se destaca por ser a sede com maior número de associados do mundo, acompanhando o crescimento dessa profissão no país.

Entre as vantagens de se tornar um membro da AICI estão, eventos educacionais, cursos, seminários, network, entre outros. O papel do Consultor de Imagem é orientar as pessoas que desejam estar alinhadas com sua imagem, tanto na vida pessoal quanto profissional, criando assim seu “branding pessoal”.

Para isso, o consultor deve colocar em prática os três pilares da consultoria: a aparência, o comportamento e a comunicação, oferecendo serviços e técnicas que vão ajudar no autoconhecimento e ensinar as pessoas a se vestirem de maneira que transmita as características de cada um.

“As pessoas em geral têm cada vez menos tempo, gostam menos de fazer compras e têm muitas opções hoje em dia. O profissional de consultoria de imagem auxilia nessa questão. A liberação de dresscode nas empresas deixa muita gente com dúvidas do que vestir, por isso o papel do Consultor de Imagem é fundamental” afirma Silvia Scigliano, atual presidente da AICI Brasil. A presidente anuncia ainda a data da edição 2021 do 8° Seminário Internacional AICI, que acontecerá nos próximos dias 20 e 21 de agosto de 2021, com um line-up especial de especialistas convidados como a renomada Cris Guerra e seus membros. Em breve, abrirão as inscrições para não membros da Associação. Procure saber!

 

 

Membros AICI Brasil. Foto: Divulgação.

SERVIÇO:

20 e 21/08: 8° Seminário Internacional AICI 

02/09: evento online Núcleo Regional Rio Grande do Sul 

Site: https://aicibrasil.org/

   

  

Comentar comment0 comentário
menu
menu