GERAL
Associada à Cacis de Estrela, Estrelat é agraciada com três prêmios da Federasul
   
Empreendimento familiar foi agraciado em duas categorias no 9º Prêmio Vencedores do Agronegócio e ainda recebeu o 5º Prêmio Elas no Agro RS, ambas as distinções promovidas pela Federasul

Por Édson Luís Schaeffer
10/09/2021 15h09

Durante cerimônia realizada na noite de quinta-feira, dia 9 de setembro, a Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul) entregou o troféu Três Porteiras para os escolhidos do Prêmio Vencedores do Agro e Elas no Agro. Dentre os agraciados, esteve a Agroindústria Familiar Roberto de Oliveira, a Estrelat, de Linha Santa Rita, interior de Estrela, empreendimento familiar que é associado à Câmara de Comércio, Indústria e Serviços (Cacis) e que trouxe para o município três troféus.

Estrelat recebeu três distinções 

A agroindústria foi agraciada com três distinções. Pelo 9º Prêmio Vencedores do Agronegócio, a Estrelat recebeu os prêmios Dentro da Porteira, com o case "Agro Tipo A", e Depois da Porteira, com o case "Leite por Assinatura". O empreendimento ainda foi laureado com o 5º Prêmio Elas no Agro RS, já que a agroindústria é liderada por Eliana Beatriz Lenhard de Oliveira e, por isso, o case foi chamado de "Empresária do Campo Tipo A".

Eliana revela que demorou a "cair a ficha" após a divulgação de que a Estrelat receberia três prêmios na semana passada. "Foi uma semana muito intensa após a divulgação de que seríamos triplamente premiados. Já ficaríamos imensamente felizes com um prêmio. Mas receber três distinções é algo indescritível. Este reconhecimento evidencia que, sim, mesmo sendo pequenos em tamanho e faturamento, podemos mostrar o nosso diferencial e trabalho único", afirma.

Receber, em mãos, os três troféus, outorga todo o investimento feito pela família na propriedade, sempre visando a qualidade do produto oferecido ao consumidor. "Estamos impactando positivamente a região com o nosso trabalho e estes prêmios vêm para nosmotivar a seguir oferecendo um produto diferenciado. Os prêmios também impactarão na confiança ainda maior no nome Estrelat e no crescimento da nossa agroindústria. Por isso, estamos muito felizes em receber este reconhecimento, em deixar a nossa marca e o nosso legado para Estrela e, agora, para o Estado", expõe.

Laureados com o presidente da Federasul, Anderson Trautman Cardoso (c)

Para a presidente da Cacis, Andreia Zwirtes Kich, que acompanhou a entrega da premiação em Porto Alegre juntamente com o secretário de Agricultura de Estrela, Douglas Sulzbach, o reconhecimento da Federasul à agroindústria Estrelat evidencia a força do agronegócio de Estrela. "Em nome de toda a diretoria da Cacis, queremos parabenizar a Estrelat por este triplo reconhecimento. Somos um município empreendedor, não somente na cidade, mas também no campo. E estes três prêmios da Estrelat mostram ao Estado toda esta força empreendedora de Estrela", frisa.

A cerimônia de premiação ocorreu de forma híbrida, isto é, de forma presencial e por live, diretamente da sede da Fábrica do Futuro, em Porto Alegre. Além da premiação e de pronunciamentos, ainda houve a palestra "Futuro do Agronegócio, que privilégio para todos!", com o presidente da John Deere no Brasil, Paulo Herrmann, e show com Renato Borghetti.

O objetivo dos prêmios foi reconhecer instituições públicas, privadas e pessoas físicas que, de forma criativa, inovadora, com estratégia e com resultados concretos, tenham contribuído com o desenvolvimento do agronegócio no Estado e nas suas regiões. O reconhecimento foi concedido em cinco categorias (incluindo o Prêmio Elas no Agro) e recebeu a inscrição de 54 cases. O prêmio da categoria Antes da Porteira, foi para o Polo Sementeiro, de Condor, com o case "Polo Sementeiro Condor".

Secretário de Agricultura de Estrela, Douglas Sulzbach; Roberto; Eliana; Andreia Zwirtes Kich (presidente da Cacis Estrela); e Vice-presidente da Região Vale do Taquari da Federasul, Renato Scheff

Já o prêmio da categoria ESG também foi para o Vale do Taquari. A Cooperativa de Crédito, Poupança e Investimento Ouro Branco (Sicredi Ouro Branco), de Teutônia, levou a distinção com o case "Comitê de Sustentabilidade e as possibilidades sustentáveis para o Agro". A Sicredi Ouro Branco também é associada à Cacis por meio de suas duas agências de Estrela. "Fica também o nosso reconhecimento a este importante parceiro da Cacis, a Sicredi Ouro Branco, por manter a sua essência de dar atenção ao agro. Esta distinção mostra a importância da Sicredi para a nossa região", enaltece Andreia Zwirtes Kich.

A participação da Estrelat nas duas premiações promovidas pela Federasul foi intermediada pela Cacis, indo ao encontro de uma proposta da entidade e que deve se efetivar em breve. Em 2021, a diretoria da Cacis retoma um sonho iniciado em gestões anteriores: de agregar o agro à entidade, por meio da criação da pasta do Agronegócio, visando oferecer soluções também para este setor, que tem destacado Estrela na região e no Estado. Isto já despertou na agroindústria familiar o desejo de se associar à Cacis.

 

A Estrelat

A Estrelat é a única granja leiteira do Vale do Taquari e a segunda no Estado que produz o leite tipo A. Este tipo de leite é considerado puro (sem adição ou retirada de componentes), limpo (contagem de bactérias menor que 10 mil ufc/ml, sendo que na Estrelat tem sido um média menor que 8 mil ufc/ml) e saudável (mantendo todos os nutrientes).

A produção de leite na Granja Lenhard iniciou nos anos 1970, com Pedro Reinoldo Lenhard e Irma Lori Lenhard. Por longo período, a família produzia o leite tipo B. Em 2007, atendendo às novas regras sanitárias, a família investe em uma agroindústria, contemplando a pasteurização e o envase do leite na própria propriedade. Assim nasce a Estrelat, nome fantasia criado pela filha do casal, Eliana Beatriz Lenhard de Oliveira, que coordena as atividades da propriedade junto com seu marido, Roberto de Oliveira.

Em 2011, uma resolução do Ministério da Agricultura retira do mercado o leite tipo B. Com isso, a família precisa tomar uma decisão: produzir leite longa vida, o que não iria requerer investimentos, ou investir na produção do leite tipo A, algo quase desconhecido no Rio Grande do Sul, implicando em mais investimentos.

Como o leite produzido já tinha a contagem de microorganismos inferior a 10 mil ufc/ml e já ocorria a pasteurização e envase do leite dentro da propriedade, aliado ao desejo de continuar oferecendo um produto nobre e diferenciado, a família decide pela produção do leite tipo A. Em 2019 vem a certificação e o selo do Sistema Unificado de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte (Susaf), permitindo a comercialização do produto em todo o Estado.

A decisão de investir na produção do leite tipo A, aliado a outros investimentos na propriedade, trouxe inúmeros resultados para a Estrelat. Dentre os resultados, a conquista de novos mercados, aumento do número de clientes na venda direta porta a porta (leite por assinatura) e o incremento de 30% no faturamento da propriedade. "Não comercializamos somente leite, mas, sim, alimento e saúde", ressalta Eliana.

   

  

Comentar comment0 comentário
menu
menu